Lendo agora:
O que você usa?
Leitura de 3minutos

O que você usa?

Diante de mais um lançamento badalado da gigante do streetwear mundial decidi escrever esse texto reflexivo sobre o que vem rolando ultimamente nesse meio.

A primeira coisa que me veio a mente foi a pergunta: Será que não estamos exagerando e dando muita atenção para marcas mainstream como a Supreme? (Obs.: A Supreme foi apenas um exemplo diante de mais um lançamento previsto: o Air Max 98 em parceria com a Nike Sportwear)

Supreme x Nike Air Max 98 (Divulgação/Supreme)

De uns tempos pra cá, com maior conhecimento do público brasileiro, vejo no país a mesma pegada da cena gringa, onde os hypebeasts fazem de tudo para não ficar de fora dos principais lançamentos. Negar a importância da Supreme e de outras marcas e suas influências no mercado está fora de cogitação, mas será que toda excitação não está deixando as pessoas “cegas” sobre o que realmente é relevante para elas mesmas?

Eu já fui assim, em uma escala menor mas fui. Corria atrás dos produtos da Supreme, principalmente bonés, e sempre que alguém viajava mandava trazer algo. Depois de um tempo, toda essa exclusividade que eu buscava me fez perceber que não seria uma marca que faria meu estilo ser mais foda, mas, sim, o que eu realmente queria usar. Isso que faz a diferença!

Essa percepção se confirmou recentemente na minha viagem para a capital dos Estados Unidos. Apesar de Washington não respirar moda e não ter 50 lojas como Nova Iorque, as pessoas estão por dentro do que está rolando. Por incrível que pareça vi apenas duas pessoas usando Supreme, não que todos americanos devam andar uniformizados com as peças da marca, mas lá pelo que parece as pessoas usam o que gostam, independentemente de ser cool ou não.

Se pagar R$500 em uma camiseta e R$350 em um boné fizer sentido para você vá em frente, não estou julgando, até porque já fiz isso. Por outro lado, se não fizer, não se sinta pressionado a seguir a mesma linha. Saiba que existem infinitas marcas e estilos para descobrir e se identificar. Isso faz parte da evolução pessoal de cada um e pode levar certo tempo.

Resumindo. Acredito que temos que estar abertos e não nos limitar a nomes e rótulos. O streetwear em si é um estilo que está em constante mutação, sempre evoluindo e resgatando coisas do passado. Enfim, se for real para você, use e siga seu instinto.

[irp posts=”1471″ name=”Em busca do consumo consciente”]

Deixe um comentário

Input your search keywords and press Enter.
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!