Lendo agora:
O sportswear tecnológico da Acronym
Leitura de 4minutos

O sportswear tecnológico da Acronym

Fundada em 1994, por Errolson Hugh e Michaela Sachenbacher, a marca alemã Acronym é definida pelos fundadores como uma “unidade de guerra”, ao misturar tecnologia, militarismo e futurismo em peças funcionais para uso diário. Hugh teve a ideia quando começou a praticar karatê aos 10 anos, inspirado pelo tradicional uniforme: o karategi.

Foto: Paul Black

Errolson Hugh e Michaela Sachenbacher

As roupas possuem tanta tecnologia que precisaram de um dicionário próprio, com os termos e definições para que os consumidores pudessem entender tudo que é implementado. Cada peça é recheada de bolsos visíveis e compartimentos secretos, além dos chamados “subsistemas”, como elásticos e travas removíveis, tudo detalhado e especificado na descrição de cada item.

Além disso, quem compra uma peça precisa saber a diferença de cada tecido usado, para aproveitar melhor sua função. Entre a variedade de materiais está a conhecida membrana de teflon expandido, GORE-TEX®, que repele água e é resistente a ventos, e o Super Composite Skin (SCS), que permite a secagem rápida de uma peça molhada ou encharcada.

Fotos: Acronym

COLEÇÕES
O processo de criação da primeira coleção demorou três anos. Lançada em 2002, com tiragem limitada de 120 unidades, a “Kit-1”, era mais um projeto audiovisual do que uma linha de roupas. Trazia apenas uma jaqueta e uma mala juntamente com trilha sonora, software e catálogo conceitual. A aceitação foi boa levando o nome da marca para revendedores como a conceituada butique Colette, que recebeu as peças de sua primeira coleção completa lançada no ano seguinte.

Mesmo não investindo nada em marketing e em divulgação a Acronym continuou ganhando fãs, principalmente dos adeptos do estilo techninja (nome dado para pessoas que utilizam roupas tecnológicas com pegada urbana e futurista, inspirado pelos ninjas japoneses). Desconhecida até então pelo grande público, a marca chegou a um patamar após ser convidada pelo CEO da Nike, Mark Parker, para resgatar a linha urbana esportiva ACG e recriar o clássico Air Force One.

O sneaker futurista dividiu opiniões entre os sneakerheads mundo a fora sendo considerado um daqueles que você ama ou odeia. Seu sucesso foi inegável, fazendo com que a Nike colaborasse novamente com a Acronym, desta vez, em versão do modelo Presto, que chega aos revendedores da Nike Lab no mundo todo, incluindo o Brasil, dia 15 de setembro.

Foto: HAVEN

Acronym x Nike Lunar Force 1 SP

Foto:Sneaker News

Acronym x Nike Air Presto

Em sua coleção mais recente Errolson e Michaela apostaram na cor preta fosca que predomina nos variados tipos de jaquetas e calças com mil compartimentos. O grande destaque fica por conta da colab com a NemeN, marca italiana especializada em outerwear. A jaqueta J28-K traz tingimento em degradê único com cores que se mesclam perfeitamente. Produzida peça a peça na Itália conta com tecido importado do Japão a prova d’água e de vento.

Fotos: Acronym

Nota do editor
Tudo começou quando vi um cara vestido no estilo techninja e uma das marcas que ele usava era a Acronym. A princípio gostei bastante por conta do visual, mas ao ler mais sobre sua história e os fundadores pirei no conceito.

O estilo não combina comigo, porém virei fã da marca por essa visão futurista. Infelizmente é uma marca inacessível para nós, as peças são consideradas de luxo e possuem valor altíssimo.

Veja mais matérias especiais

Deixe um comentário

Input your search keywords and press Enter.
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!